conclusões da temporada 2017

  • -

conclusões da temporada 2017

No final de cada temporada nós costumamos fazer algumas conclusões quanto ao nosso trabalho e nosso mercado de serviços de guia em Moscou:

Questão da publicidade

A cada ano vemos mais ofertas de serviços de guias pela internet. Conhecemos colegas que pagam até 1000 euros ao Google para serem os primeiros a aparecer nos anúncios, e esses colegas também devem realizar muito trabalho de SEO, etc. Nós por princípio não pagamos ao Google. Nos achamos que estamos em cima disso. Não somos guias tipo Ford Focus ou Kia Rio, somos guias tipo Foguete Vostok.

Nossos clientes nos encontram:

  1. pelas recomendações de outros clientes
  2. pelos textos originais de nossos blogs e páginas (anos de trabalho extra)
  3. pelos comentários no TripAdvisor
  4. pelas páginas intermediadoras, que cobram uma comissão de 25-30%

Se vocês estão entre as pessoas que nos encontraram sem intermediários, estamos com muita sorte! Vocês já têm um desconto de 25-30%!

Lamentavelmente, todo ano registramos um importante aumento dos clientes que vêm através dos intermediários, e esses clientes têm que pagá-los 2530%! Se eu pagasse ao Google pela publicidade, seria a mesma coisa: teria que subir meus preços ou baixar o nível do serviço…

A questão dos valores e nível de serviço

Ser guiado é um privilégio (em poucos dias vocês recebem as informações que nós, guias, acumulamos diariamente durante dezenas de anos, lendo, ouvindo, estudando, procurando dados importantes, esboçando os roteiros de pura ação intelectual).

Uns colegas às vezes nos explicam que se pode trabalhar um pouco pior, em lugar de mostrar um filme completo, dar só um spoiler. Para nós é difícil, não queremos vender gato por lebre, não temos versões DEMO, não podemos trabalhar 25% pior, e como consequência disso não fazemos descontos (uma obra-prima não pode ser 25% pior, imediatamente tal produto se tornará fancaria).

A questão da concorrência crescente

A concorrência está subindo, porque vivemos em uma época transitória, em crise de superpopulação e em total precariedade trabalhista. É absolutamente normal que para alguém possa ser satisfatório o serviço de um estudante latino que só conhece as rotas turísticas básicas, têm impressões confusas depois de viver um ano na Rússia e não sabe nada da História russa salvo alguns fragmentos dos filmes propagandísticos do History Channel. Como já dissemos antes, há bastantes guias, que sabem baixar a qualidade de seu trabalho em função da avareza dos clientes ou da agência, que lhes consigue os clientes.

É muito importante identificar nosso público-alvo:

Nosso público-alvo é dividido em 3 grupos básicos

  1. O primeiro grupo são reis e aristocratas, presidentes e chefes de Estado, capitalistas do decil superior dos donos do mundo. Esses clientes do “dinheiro velho” com nossa ajuda procuram compreender como funciona o mundo, como superar a morte, como prevenir as ondas revolucionárias e conservar seu poder e seu capital.
  2. O segundo grupo são radicais e intelectuais revolucionários, senhores do crime organizado, os novos ricos, assim chamadas contra-elites, aspirantes por chefiar o mundo. Esses clientes do “dinheiro jovem” e agressivo com nossa ajuda procuram compreender como funciona o mundo, como superar a morte, como organizar e dominar as ondas revolucionárias e como conquistar o poder e aumentar seu capital.
  3. O terceiro grupo são intelectuais, investigadores, poetas, escritores, artistas, descobridores, profissionais jovens, desempregados, precarizados, canalhas da sociedade “sem dinheiro”, que também com nossa ajuda procuram compreender  como funciona o mundo, como sobreviver aqui sem perder o juízo.

Sem dúvidas, a experiência russa tem muitas respostas para estas inquietudes.

“Não foi Montaigne um turista? Não era Goethe? E Byron. E antes, Ibn Khaldun, Ibn Batutta, Ptolomeu, Herodoto: turistas”!

Conselhos para poupar nosso tempo:

Se vocês estão decididos  a atualizar seu quadro do mundo conosco, pedimos com muita gentileza que sejam concretos na formulação de sua solicitação. Não se esqueçam de informar,

Quantas pessoas são?

Em que hotel vão se hospedar (para traçar os roteiros mais apropriados)?

Quantos dias vão passar na Santa Terra da Rússia? Quantas horas por dia gostariam de dedicar aos passeios?

Quais seriam seus interesses?

E também é muito importante tomar decisões antecipadamente. Se lhes recomendei um show folclórico que considero que vale a pena, é melhor reservá-lo no mínimo um mês antes da vinda à Rússia, porque é praticamente impossível conseguir as entradas 2 dias antes do show. Claro que Moscou tem vários shows diferentes (no último ano tivemos 3), mas o melhor show sempre é o mais solicitado. O show folclórico é um exemplo, mas isso pode ser aplicado a qualquer coisa: seja um passeio de barco, seja, ainda mais, a visita ao Kremlin, o museu mais lotado de toda a Rússia. A ida ao Kremlin, o show folclórico e o passeio de barco se reservam com antecipação e não podem ser organizados em 23 dias!

Outras reflexões nossas baseadas em outras temporadas:

Política de valores: http://guiademoscu.com/?page_id=952

Consultório robotizado: http://guiademoscu.com/?p=731

Que vivan los guias privados: http://guiademoscu.blogspot.ru/2015/10/que-vivan-los-guias-privados.html