Nikolaj II poderia salvar a Rússia

Nikolaj II poderia salvar a Rússia

uma diputada da Duma venerando Nikolai Romanov

I. “Perdoe-nos, Nikolai…”

Nos dias 16/17 de julho o oficialismo e a İgreja Ortodoxa Russa celebram o aniversário da morte dos Romanov.

Nas rodovias aparecem os cartazes com a imagem de Nikolaj II: “Perdoe-nos, senhor!”. Pode-se ver pessoas nas camisetas com a imagem de Nikolaj II e com a bandeira imperial: “Pelo império russo!”, “Deus, Czar, Nação”, “Somos russos”, etc.

A mensagem do oficialismo é que a Rússia dos Romanov era um grande e próspero império, destruído pela quinta coluna, chefiada pelos «judeubolcheviques» e outras minorias étnicas. “Os revolucionários possuídos por Satanás e pagos pela Inglaterra e Alemanha martirizaram os Romanov, incluindo as criancinhas”. Uma das versões mais psicopatas afirma que a cabeça de Nikolaj Romanov (depois de um assassinato ritual judaico, claro) foi cortada e colocada logo …no escritório de Lenin.

Tais bobagens literalmente são pronunciadas pelo presidente adjunto do Parlamento (partido governante), pelos diretores de cinema (que filmam produções medíocres com dinheiro estatal transmitindo esse lixo) e pelos milhões de popes (padres da Igreja Ortodoxa Russa) omnipresentes (na televisão nacional, nas escolas também).

Esse preconceito putinista é compartilhado pelos monárquicos, nacionalistas, neonazistas e por uma parte dos liberais.

II. O conteúdo real do mito

2 Oscars para promover o culto de Nikolai Romanov

…E quase por todos os turistas, que acompanho em Moscou! Graças aos desenhos animados lacrimosos sobre Anastasia, produzidos em massa no Ocidente (entre eles o que foi produzido em 1997 pela Fox) com a ideia de legitimar a restauração da monarquia na Rússia. A ideia que foi bastante atual no tempo de Yeltsin, hospitalizado permanentemente devido a seu alcoolismo. E até hoje o “roteiro espanhol” tem seus torcedores entre as elites russas (é quando um ditador põe um rei para legitimar a continuação perpétua do poder de seu grupo governante, como fez Franco).

A sociedade russa ainda não degradou suficiente para aceitar este marasmo, mas tudo é possível neste mundo. O projeto da restauração da monarquia originalmente foi promovido pelos brancos, que perderam a guerra civil e fugiram para Europa (perderam a guerra não obstante a ajuda dos 14 países estrangeiros que invadiram a Rússia!). A Igreja Ortodoxa Russa no Exterior tomou a responsabilidade por esta mitologia vulgar dos Romanov. Mantida pela Inteligência do Terceiro Reich nos anos 1933-1945, a Igreja Ortodoxa Russa no Exterior depois da Segunda Guerra foi financiada por CIA e agora depois de M&A com a Igreja Ortodoxa Russa, a Igreja, já unificada, tem todo apoio dos governos de Yeltsin e Putin, e como é sabido, a mentira repetida mil vezes torna-se verdade.

III. Os desajustes do mito

Se pode trollear os fãs de Nikolai II, dizendo, que Pedro, o Grande matou seu filho Alexej – por que não vamos canonizar esse Alexej também? Também foi assassinado Pedro III (com consentimento de sua mulher Catalina II), por que não vamos chorar por esse Pedro III? Todo o século XVIII foi uma série dos golpes palacianos, ou resulta que os Romanov podem ser assassinados só por outros Romanov? Mas neste caso temos que canonizar também Alexandr II, assassinado pelos radicais 36 anos antes da Revolução. Este não foi assassinado por outros Romanov, senão pela “plebe”. Nenhum destes czares foi feito recusar a religião ortodoxa. Ou seja, igual ao Nikolaj Romanov nenhum deles tem a ver algo com o martírio ortodoxo.

Outro dado para pensar. Como a Igreja Ortodoxa Russa no Exterior inventou o culto do Nikolaj Romanov sem saber de todos os detalhes do caso, segundo o mito os corpos dos Romanov foram liquidados em Gánina Jama. Muitos anos já os crentes ortodoxos tem os “orgasmos espirituais” neste lugar. Quando o Comitê de Investigação da Rússia já confirmou várias vezes com ajuda da impressão genética que os corpos dos Romanov foram sepultados em outro lugar – em Porosénkov Log. E agora a situação é bastante cómica: a Igreja Ortodoxa já investiu muito capital em Gánina Jama! Por isso a Igreja Ortodoxa Russa não reconhece os resultados da impressão genética, realizados pelo governo da Rússia!

O culto dos Romanov é ridículo e no fundo é uma vergonha. Já escrevemos bastante para desmitolgizá-lo: leia 7 fatos sobre o fuzilamento dos Romanov.

Uma tarefa mais do culto dos Romanov é profanizar e criminalizar a Revolução russa e o período soviético. Ao mesmo tempo, o período soviético continua sendo a única glória do povo russo e se o putinismo decide se refugiar no sovietismo, vai ser muito difícil se integrar o culto dos Romanov com o pacote soviético. Difícil, mas também possível: os putinistas dirão que Stalin foi um agente dos Romanov infiltrado no movimento dos revolucionários para restaurar o Império e logo passar o poder para Alexej Kosýgin, filho de Nikolaj Romanov! Neste caso os putinistas vão ter conflito com a Igreja Ortodoxa Russa, porque se trata da negação do assassinato dos Romanov…

IV. Nikolai II poderia salvar a Rússia

Em lugar de mentir deveríamos compreender melhor nosso passado para sacar as conclusões corretas! Grande historiador russo, Serguei Nefiódov, crê que Nikolaj II poderia salvar a Rússia, se fizesse uma reforma agrária. Assim, impressionadas pela revolução russa, os grupos governantes da Romênia, Polônia, Bulgária e Hungria, realizaram as reformas agrárias em seus países e prolongaram seu poder…

“Nós tratamos do mesmo fenômeno – da superpopulação agrária na Europa do Leste. A falta de terra para os camponeses causava a revolução. E ela explodiu em lugares diferentes, mas foi totalmente lógico… Em 1905 o primeiro-ministro Serguei Witte ofereceu ao czar Nikolaj II realizar tal reforma e tirar mais da metade das terras dos latifundiários pelo resgate, isso foi realizável. Como também isso foi realizável ainda nos anos 1916-1917…”.

O remédio de Witte (tirar as terras dos latifundiários) foi evidente depois da primeira Revolução Russa – em 1905, quando os camponeses queimaram cerca de 50% das casas de donos das terras na parte central da Rússia. Todos os chefes da polícia, envolvidos na liquidação dos distúrbios, apoiavam a solução de Witte.

Mas o czar Nikolaj Romanov, o Sanguinário respondeu com as represálias contra seu povo (realizadas mediante o novo primeiro-ministro Piotr Stolypin, logo assassinado pelos radicais).

Grosso modo, assim o czar, latifundiário #1 da Rússia, levou a Rússia para a catástrofe da revolução.

Depois da Revolução de Fevereiro (quando o czar se abdicou do trono) o Governo Provisório (conhecido popularmente como um “governo dos ministros-capitalistas”) também não quis fazer nenhuma reforma agrária! Em agosto de 1917 os camponeses começaram roubar e queimar as vilas dos latifundiários, os rebeldes mataram centenas dos donos das terras na Ucrânia e na parte central da Rússia. O exército, formado pelos camponeses mesmo, não pôde suprimir as revoltas. Por exemplo, quando o príncipe Boris Leonidovič Vjázemskij quis usar o exército contra “seus” camponeses na província de Tambov, os soldados ignoraram as ordens de seu comandante e deixaram os camponeses apreender o príncipe Vjazemskij. Os camponeses mandaram o príncipe preso para o front como “um prófugo”. Na estação de trens mais próxima o príncipe Vjazemskij foi linchado por um pelotão de uma companhia de choque siberiana, que viajava para o front. Nessa situação a única solução foi formulada de jeito muito simples: “Paz, pão e terra” e “Todo o poder aos Sovietes”. Não havia alternativa à aliança dos bolcheviques e socialistas-revolucionários de esquerda, que interceptaram o poder do governo provisório para ganhar um século mais para a Rússia.

Fontes:

Sergej Nefëdov, Sergej Kará-Murzá, Vasilij Gálin

Por que Putin tem medo de Lenin

7 fatos sobre os últimos Romanov

O oficialismo putinista vs a Revolução

Igreja Ortodoxa vs a Revolução

Dostoevskij sobre os últimos Romanov

Tolstoj sobre a situação em Moscou no tempo dos últimos Romanov