Igreja Ortodoxa Rússa vs Revolução

  • -

Igreja Ortodoxa Rússa vs Revolução

I. DAESH Ortodoxo vs a Revolução Russa

Na Rússia em geral se ignora o Centésimo aniversário da Revolução Russa. O Museu da Revolução em Moscou (renomeado para o museu da história contemporânea já faz um tempo para apagar do nome da “revolução”) foi fechado pelas obras durante toda a temporada alta de ano 2017. No outono de 2017 nos vão apresentar pela televisão estatal umas séries com a única mensagem que Lenin fosse um espião alemão (1). Na Avenida Sajarov em Moscou estão erguendo um monumento às vítimas de GULAG (“Muralha das Lamentações”). O regime continua promovendo a religião e o culto quase oficial dos Romanov (2). Ao mesmo tempo é onipresente a nostalgia soviética da maioria esmagadora da população russa, mas se trata de uma nostalgia formal, bem filtrada das ideias da igualdade, do progresso ou do socialismo (3).

A única notícia é a estreia do filme “Matilde”. Não vimos este filme, mas é fácil compreender o conteúdo dele.

Matilde Kschessinska foi uma bailarina brilhante, leoa secular de São Petersburgo, amante de vários caras da família dos últimos Romanov, de Nikolai II, entre eles. Matilde Kschessinska também participou ativamente nos esquemas de desvio do dinheiro público, destinado para o exército, durante o governo “genial” de Nikolai II. Segundo um dos apócrifos, quando logo depois da derrota russa em Tsushima (4), a bailarina apareceu na cena do Teatro Mariinskii e como sempre cheia dos brincos de diamantes, o público começou a gritar: “Aí estão nossas canhoneiras novas! Estão em seus ouvidos!”… (5) Depois da Revolução de Fevereiro a mansão de Matilde Kschessinska foi ocupada pelos bolcheviques e virou o quartel-general da Grande Revolução Socialista de Outubro. Claro que toda essa história é um presente para qualquer diretor de cinema na véspera do aniversário de 100 anos da Revolução, não é?

E tal filme foi feito, é lógico, mas sua estreia foi acompanhada pelos ataques quase terroristas contra os prédios de cinema, que sediaram este filme, contra os autores, etc. Os protagonistas dessa intolerância primitiva foram uns radicais de um tal chamado “Estado Ortodoxo”, ou seja, um análogo de DAESH, só “ortodoxo”. Os radicais foram apreendidos pela polícia russa e o governo russo inteligentemente em seguida distanciou do barulho em torno dessa história. Embora que, sem dúvidas, a mesma existência de tais radicais “ortodoxos” fosse um produto direto da decadência cultural dos últimos anos (“mais igrejas, menos escolas”). Os radicais “ortodoxos” acham que nenhuma crítica de seu São Nikolai II deve ser aceitada…

II. Igreja Ortodoxa Russa, legitimando o oligarcado

Achamos que a religião é um fenômeno bem complexo (leia, por exemplo, “Big Gods: how religion transformed cooperation and conflict” de Ara Norenzayan). Na história russa a religião teve seus tempos altos e baixos (6) e até num certo sentido a religião ortodoxa inspirou o comunismo russo (7), ao mesmo tempo no caso dos Romanov a Igreja virou um mero Ministério de Ópio para o Povo e em parte de tal jeito a Igreja funciona agora, sua missão principal é deslegitimar o período soviético e legitimar o regime dos oligarcas atuais. Além disso a Igreja Ortodoxa Rússia atual foi super influida nos anos 1990 pela Igreja Ortodoxa Rússa no Exterior, aquela igreja que colaboró com os nazistas durante a IIGM e com a CIA durante a Guerra Fría.

E sua propaganda é bem efetiva. Nessa semana trabalhamos com um motorista – fanático ortodoxo, que a cada minuto queria-nos “cristianizar”, apresentando todo o pacote dos “mems” da igreja atual, que lhes oferecemos abaixo:

Quanto à desigualdade africana na Rússia: “não é nosso assunto, temos que ser humildes e pensar só em nossas almas”.

Quanto ao consumo dos produtos de luxo pelos padres e hierarcas da Igreja Ortodoxa Russa: “como disse o padre Teognost da Laura de São Sergio, os monges são filhos de Deus e devem ter os brinquedos adequados, seus Mercedes e BMWs é sua forma de humildade, é sua cruz, não temos que pensar nisso”.

Quanto à ideia de trocar os Mercedes e BMWs dos popes pelos remédios para as crianças: “Quem é você para pensar sobre esse assunto?! O sofrimento humano também é um plano de Deus!”

Nosso motorista não podia controlar seus nervos, gritava muito, nos insultava, e nossos turistas do Paraguai até ficaram assustados.

III. Neoconservadorismo forma parte da Reforma de Choque

Também é interessante dizer como começou nosso contato com nosso motorista fanático: ao iniciar o City Tour eu pedi ao motorista que nos levasse para o Hotel “Moscou”. Todo o mundo em Moscou conhece esse hotel “Moscou”, obra-mestre do arquiteto Shchusev, mas ultimamente esse hotel foi renomeado para Four Seasons (profanação do regime dos oligarcas). Mas nosso motorista não sabia. Então, eu expliquei para o motorista que agora esse hotel se chama Four Seasons, mas nós os russos devemos estar conscientes aos nomes de verdade. O motorista comentou: “Então, você é um liberal?!”. Ou seja para ele qualquer forma de questionar o putinismo é ser liberal!.. Quando de fato eu era um conservador (quero “conservar” os nomes autênticos) e o liberal era ele (torcendo por Four Seasons, propriedade de Bill Gates e algum príncipe saudita). Disso eu posso concluir que a Igreja Ortodoxa Russa de fato pode legitimar qualquer coisa, seja putinismo ou algum governo mais pro Ocidente. Muitos até acham que o conservadorismo ortodoxo foi importado da Gringolândia junto com as ideias da economia de mercado ou da guerra sagrada de todos contra todos, que justifica a  concorrência, desigualdade e canibalismo. A Igreja Ortodoxa Russa forma parte do pacote do  neoconservadorismo moscovita, que é uma cópia do neoconservadurismo yankee. E esse neoconservadorismo macaqueado já deu um grande trabalho nos últimos 30 anos!

  1. Por que Putin tem medo de Lenin?
  2. Desestalinização dos Romanov
  3. Eterno retorno de Stalinismo
  4. https://pt.wikipedia.org/wiki/Batalha_de_Tsushima
  5. Leia também: http://guiademoscu.com/?p=1061
  6. http://guiademoscu.blogspot.ru/2010/09/sopa-de-las-cebollas-de-las-cupulas.html e http://guiademoscu.blogspot.ru/2013/02/el-mito-de-la-persecusion-de-la-iglesia.html
  7. http://guiademoscu.blogspot.ru/2012/07/sermon-de-la-montana-como-el-codigo-del.html