Pskov: MUST SEE (imperdível)

  • -

Pskov: MUST SEE (imperdível)

#Pskov

A post shared by Guía de Moscú (@guiademoscu) on

Pskov, história

Segundo uma das teorias de etnogênese, os povos novos sempre se formam nas fronteiras, pela causa da interação “amizade/guerra”. Assim foi o caso de Kiev (fronteira russa com Khazaria e Império Bizantino), Moscou (área russa no marco da Horda de Ouro), São Petersburgo (literalmente o frente da guerra da Rússia contra a Suécia) [1.]

Um dos centros de etnogênese russa foi também a área de Pskov (300 km de São Petersburgo para sudoeste, 800 km de Moscou para noroeste). Pskov fica a 2 passos da Estônia e a Lituânia atuais. Muito mais antiga que Moscou, até o século XVIII Pskov foi uma das maiores cidades da Europa. Pskov protegia a Rússia das agressões das tribos bálticas, das Ordens Teutónica e Livônia. No período da desintegração feudal Pskov balanceava entre Kiev e Novgorod até quando, no século XV, ficou subordinada a Moscou.

As cidades fronteiriças se diferenciam por sua dualidade: por um lado elas copiam algo de seus vizinhos, por outro lado desenvolvem seu próprio estilo para ser diferentes. Hoje, para algumas pessoas Pskov é uma das “janelas para Europa”, a terra russa “menos infectada” pelo bolchevismo-czarismo-hordismo. É importante saber que depois da catástrofe da aventura dos Romanov na I Guerra Mundial o governo soviético teve de ceder uma parte da região de Pskov ao estado marioneta da Inglaterra – à República da Estónia (a Rússia Soviética estava no caos da guerra civil, invadida pelos 14 estados estrangeiros). Destruída pelos Romanov, a Rússia se recuperou só depois da Vitória da URSS na 2GM. Assim, o povoado Izborsk, um dos símbolos da Rússia (fica a 30 km de Pskov!) em 1920-1940 foi integrado à Estônia. Durante a 2GM em Pskov, ocupada pelos nazistas, se acomodaram o “exército russo da libertação” do traidor Andrei Vlasov, a “Divisão Azul” dos franquistas espanhóis e outros colaboracionistas do fascismo pan europeu. É lógico que para os neonazistas russos o caso de Pskov é muito especial.

Um dos torcedores dessa onda, entrevistado por nós perto de Izborsk, com muito orgulho comentou que durante a guerra civil russa os representantes da tribo local seto, atacando aos russos-vermelhos, não  gritavam “HURRA” como os “untermensch” russos (“hurra” é uma palavra turca, herdada da Horda de Ouro). Os setos, sendo “super homens”, durante seus ataques costumavam simular as vozes de porcos, cachorros, galos, etc. É curioso notar como o anti sovietismo leva ao arcaísmo total… [2.]

#izborsk

A post shared by Guía de Moscú (@guiademoscu) on

Pskov, arquitetura

Achamos que Pskov tem o segundo posto depois de Moscou pelos seus recursos turísticos… Pelo menos Pskov e seus povoados satélites Izborsk e Pechory estão na mesma altura que São Petersburgo ou Anel de Ouro de Moscou. http://guiademoscu.com/?page_id=670

A arquitetura de Pskov é caracterizada pelo jogo cubista de volumes, por certo primitivismo, não é semelhante com nada. As muralhas das fortalezas aqui não são alinhadas, nem modeladas em estuque, assim as pedras calcárias ficam como uma massa folhada. Na arquitetura de Pskov se inspiraram os gênios tão influentes como Shchusev e Le Corbusier. Alguns expertos até creem, que os autores da Catedral de São Basílio de Moscou (a obra chave da arquitetura russa) fossem da origem de Pskov.

Lamentavelmente Pskov (igualmente a toda a Rússia) está abandonada desde a queda da URSS, a cidade não tem planejamento sério, tem muitos prédios queimados ou abandonados no centro, sem falar dos prédios novos e feios da época de Yeltsin/Putin, que estragam os panoramas geniais de Pskov. Pskov não tem boas rodovias. Ao mesmo tempo há de reconhecer que a parte histórica em geral não está descuidada e as obras da restauração receberam certo financiamento no período da bonança petroleira dos anos 2000.

Una iglesia de #Pskov que inspiró a #lecorbusier a diseñar su #chapelle

A post shared by Guía de Moscú (@guiademoscu) on

Pskov, rodovia de Moscou

A rodovia é de pista simples, as vezes é difícil ultrapassar um caminhão, por isso a rodovia está “decorada” com muitas tumbas de ambas as beiras (de vítimas de accidentes). Ao mesmo tempo a qualidade da rodovia é bastante alta, se pode conduzir tranquilo a 110 km/hora durante a chuva. A rodovia tem muitos outdoors memoriais, que informam sobre o movimento do frente russo durante a 2GM, sobre as vítimas dos castigadores nazistas, sobre as pérdidas faraónicas dos russos nas batalhas de Rzhev, sobre as fossas comuns, etc. Mas a julgar pelas fazendas soviéticas abandonadas em massa (muitos prédios de concreto armado em abandono!), se pode pensar, que a guerra acabou de finalizar ontem (para muitos russos o dano das “reformas” de Yeltsin/Putin é equiparável com o dano da 2GM). As cegonhas estão em todas partes… Uma até construiu seu ninho em cima dum obelisco perto de Rzhev. As aves tamanhas sobrevoavam a gente como os pterodáctilos. A natureza é fantástica e rica, cada 100 metros da rodovia vendem peles, gordura de urso, castóreo, vodkas com sabores, etc.

#Pskov

A post shared by Guía de Moscú (@guiademoscu) on

Pskov, a vida alternativa

Como a região de Pskov fica perto de São Petersburgo, lá se organizam os festivais musicais, de cultura étnica, recreações históricas, etc. Há várias comunidades de jovens, que escapam da civilização pós-soviética mediante a vida rural: uns se dedicam à cervejaria, outros montam as fábricas de queijo, visando para o mercado de produtos artesanais kraft, que tem em São Petersburgo. Os joven recuperam as técnicas perdidas de tecido, de construção de lareiras, etc. A ideia é viver sem estado (a isso se reduz a ideologia de putinismo: as matérias primas são só para as elites, o povo tem que aprender a viver sem estado). Mas não é fácil viver na terra, o estado não os deixa em paz. O custo da terra está crescendo (embora que a maior parte da terra esteja abandonada), os impostos sobre a terra também sobem. A medicina estatal degradou até o nível da Idade Média, mas a medicina privada (muito cara) não é melhor. Os “escapistas” precisam de gasolina para levar as crianças à escola do povoado mais próximo. Depois da escola primária a dor de cabeça dos pais aumenta: há de se pensar sobre a educação séria, que é impossível na província… Claro que a vida no campo é muito atrativa, já que é uma tradição da nobreza russa… Mas antigamente os nobres russos tinham escravos, Liev Tolstoi, vivendo em sua Yasnaya Polyana, foi o escritor №1 no planeta e ganhava bastante com seus direitos autorais… As fontes de renda dos “escapistas” de hoje são seus apartamentos em Moscou ou em São Petersburgo, que eles arrendam para os “não moscovitas”. Além disso, eles têm seus pequenos negócios elitistas orientados ao mercado das cidades grandes como São Petersburgo ou Moscou.

A região de Pskov é um ótimo lugar para uma vida alternativa, há muitos locais remotos, e São Petersburgo não é tão agressiva destruindo suas periferias como Moscou. Há pessoas aqui que participam nos programas da reeducação dos jovens criminosos da EU [3.]. Segundo a imprensa russa, esses jovens europeus reeducados nas aldeias da Sibéria ou em outros lugares da Santa Rússia, viram aqui as pessoas normais porque na Europa eles sofrem maus tratos e na Rússia lhes tratamos muito bem. Não é tão simples… Segundo um de nossos informantes um dos tais delinquentes europeus (um turco alemão), localizado na fazenda de um conhecido, durante a festa de Ivan Kupala saiu da sauna com uma suastika pintada em seu frente com carvão e começou a esticar o braço direito, gritando Sieg Heil… O louco roubou 5000 rublos (80 euros) de seu anfitrião e fugiu em um táxi para o aeroporto Pulkovo de São Petersburgo, foi um comportamento típico para os delinquentes russos também, mas isso não dá certo, claro… O caminho para o centro do mundo (que hoje é o Ocidente) nunca foi fácil.

Leia mais:

1. http://guiademoscou.blogspot.ru/2013/12/sobre-o-codigo-cultural-dos-russos.html

2. Numa comunidade alternativa de Izborsk nos encontramos com um neonazista bielorrusso, que nos contou uma história anti soviética, bastante sofisticada, mas típica (o neonazista foi absolutamente “open minded”: cabelo largo, cara tatuada, piercing abundante). Segundo o neonazista durante a crise dos anos 1920 o governo de Lenin quis ganhar o dinheiro produzindo vodka. Mas no país destruído pela guerra civil não havia trigo de centeio. A consulta dos cientistas lhe ofereceu a Lenin produzir a vodka …da merda. Para o neonazista bielorrusso isso é um fato histórico, ele “viu” os “documentos” “com seus próprios olhos”, blablabla… Os operários depois de descobrir o plano de Lenin, se rebelaram… Graças a Deus, essa história em seguida foi desmistificada por um produtor de cerveja, que explicou para o neonazista ridículo que seria impossível produzir a vodka da merda, porque a merda não tem açúcar. Deveria ser uma merda de um diabético! O neonazista resistiu: disse que ele mesmo bebeu muita vodka da merda, que na Bielorússia atual é bastante comum, mas isso já foi outra história…

3. http://www.elcorreo.com/vizcaya/20080118/mundo/reeducacion-siberia-20080118.html


  • -

O que levar de presente do Brasil para a Rússia?

– Uma garrafa de cachaça é um ótimo presente. A cachaça é semelhante à vodka caseira russa, conhecida como “samogon” e os russos vão gostar!

– Camiseta da Feb (Força Expedicionária) – os russos quase não sabem nada da participação brasileira na 2GM e eles vão gostar muito da história de como “a cobra fumou”. Aseguramos, que Camiseta da Feb vai ser muito mais original que uma camiseta da seleção brasileira!

– Café? É um presente universal, mas na Rússia se vende bastante café brasileiro, embora este café provavelmente seja falso. Por isto há de presentear com um café 100% autêntico. Erva mate? Pode ser, mas na Rússia ela é mais associada com a Argentina graças aos livros de Julio Cortázar. Não tem associação com o Brasil. Mas como os russos são campeões no consumo de chá, sem dúvida eles vão gostar da erva mate.

– Um disco da Bossa Nova? – legal! Mas o tema, igual ao café, é bastante famoso na Rússia. Não seria melhor levar um disco de Luiz Gonzaga? Os russos são super musicais, sem dúvidas eles vão ficar loucos pelos sucessos como “Pagode Russo” ou “A Vida de Viajante”! O acordeão é muito significativo para os russos. E o chapéu cangaceiro?! É um presente genial para acompanhar um disco de Luiz Gonzaga!

– Calça branca para homem. Melhor que seja do Rio de Janeiro! Parece estranho? Vou explicar. Pelo romance satírico russo “As 12 cadeiras” a calça branca do Rio de Janeiro virou para os russos um símbolo de êxito [1.]. O herói do romance é um aventureiro que considera a Rússia Soviética um país dos inocentes e sonha com enganar o “sistema”, ganhar um milhão e correr para o Brasil, para o Rio de Janeiro, que segundo ele é uma cidade chique, uma cidade de milionários, onde cada homem usa calça branca e nas ruas se dança o charleston intitulado “Minha menina tem uma coisa pequenina”. “Rio de Janeiro – o sonho de cristal da minha infância… 1,5 milhão de pessoas e todas estas pessoas usam as calças brancas”. O Rio de Janeiro de “As 12 cadeiras” é um satírico mito antagonístico à realidade soviética da pós-guerra civil dos anos 1920. O romance “As 12 cadeiras” tornou um dos livros mais lidos na língua russa. Muitas frases do romance hoje são provérbios e memes populares. Calça branca do Rio de Janeiro é um desses memes. Na URSS foram feitos vários filmes baseado neste romance, que também são atualmente uma clássica de ouro do cinema russo.

Claro que nossa lista breve trata-se só dos presentes geniais, mas qualquer presente, até o mais banal possível [2.], sempre é um presente e os russos lhe vão agradecer de todo coração.

  1. https://novaziodaonda.wordpress.com/2009/06/15/as-doze-cadeiras/
  2. Uma lista dos presentes mais banais do Brasil:  http://gazetarussa.com.br/blogs/2013/10/24/melhores_presentes_do_brasil_para_dar_a_um_russo_22447

Leia também: “Dicas para visitar os russos”

 


  • -

Tour panorámico pela literatura russa

É impossível mencionar a todos os escritores e poetas russos num artigo. Há mais literários russos que as estrelas no céu. Vou falar só de alguns escritores reconhecidos mundialmente, que estão conectados com a Revolução, porque este ano celebramos o centécimo aniversário da Grande Revolução Russa.

Um dos museus mais impressionantes de Moscou é o Museu de Vladímir Maiakovski.

http://mayakovsky.museum/small/tour.html

Vladímir Maiakovski foi um poeta-futurista, radical bolchevique, que passou um tempo na prisão dos czares e na época soviética virou um ícone da Revolução Russa. É por isso que seu museu fica ao lado do prédio da KGB, que era uma “ordem dos cavaleiros da espada” da Revolução Russa.

Maiakovski foi bastante privilegiado, quando outros literários conservadores (ou simplesmente muito menos vanguardistas) ficaram no esquecimento e na pobreza. A tragédia pessoal de Maiakovski é uma tragédia da revolução russa. O poeta suicidiou.

Leia mais sobre Maiakovski em nosso blog:

http://guiademoscu.blogspot.ru/2010/07/mayakovski-117.html

Museu Casa de Máximo Gorki também vale muito a pena. Na época soviética a avenida principal de Moscou tinha nome desse escritor (como também a terceira cidade da Rússia Nizhniy Nóvgorod que se chamava simplesmente Gorki). Se Maiakovsi fosse um capitão da revolução, Gorki foi um dos generais. E logicamente sua casa foi o estado maior da literatura russa, que até agora guarda as listas de todos os visitantes. Antes de receber ao escritor proletário a casa pertencia a um dos milionários da época dos czares.

https://www.tripadvisor.com.br/Attraction_Review-g298484-d302513-Reviews-Gorky_s_House_Ryabushinsky_Mansion-Moscow_Central_Russia.html

Museu finca de Liev Tolstói em Jamóvniki

Se Máximo Gorki foi nomeado para o prêmio Nobel 5 vezes, Liev Tolstói recusou o Prêmio Nobel 16 vezes. Liev Tolstói não gostava do prêmio Nobel, como também ele não gostava de Moscou. Não obstante pela causa de seus filhos ele teve que passar 19 invernos aqui. Liev Tolstói optou por uma casa simples, sem electricidade, sem aqueduto, localizada num bairro dos operários, fora do centro (que contraste com Máximo Gorki!). Justo no período de seu trabalho em Moscou Liev Tolstói virou um “espelho da revolução russa” e foi excomungado pela igreja dos Romanov.

https://www.tripadvisor.com.br/Attraction_Review-g298484-d530937-Reviews-L_Tolstoi_s_Khamovniki_Memorial_Estate-Moscow_Central_Russia.html

Leia também sobre nosso Liev Tolstói Tour para Yásnaya Poliána.

Museu Apartamento de Mijail Bulgákov

Mijail Bulgákov tinha sido um soviet-cético (por analogia com eurocéticos), e por isso atualmente ele virou um dos escritores mais populares entre as elites da Rússia capitalista/anti soviética. Certas obras de Bulgákov foram super popularizadas nos anos 1980 para promover as ideias do darwinismo social e destruir o estado social na Rússia (hoje na Rússia segundo a estatística oficial 15% da povoação está abaixo da linha da pobreza). Ao mesmo tempo Bulgákov foi um gênio e um dos escritores mais favoritos de Stalin. Stalin pessoalmente preocupou por seu bem-estar (porque os chefes da literatura brigando pela atenção do poder costumavam subestimar a seus colegas: assim foi Boris Pasternak, responsável em parte pela morte do poeta russo Osip Mandelstam, assim foi Iosif Brodskii, que influiu muito em caminhos dos escritores emigrantes da URSS). O apartamento de Mijail Bulgakov fica ao lado do bairro onde começa a história do “Mestre e Margarida”.

http://bulgakovmuseum.ru/en/

Museu Casa de Antón Chéjov

Antón Chéjov é um dos dramaturgos mais conhecidos mundialmente, e a primeira vista ele tinha pouco a ver com a Revolução. É certo que Chéjov não foi tão crítico do regime dos Romanov como Liev Tolstói. Mas seu espírito apolítico, apateista refletiu bastante com os sentimentos pessimistas duma parte das elites russas, que não sabiam e nem queriam saber do país onde elas viviam.

https://www.tripadvisor.com.br/Attraction_Review-g298484-d530913-Reviews-Chekhov_House_Museum-Moscow_Central_Russia.html

O roteiro pelos museus mencionados no mapa de Moscou (sugiro usar os ônibus e caminhar a pé):


  • -

Ovo de aço, ovo de guerra

“Ovo de aço, ovo de guerra” é um dos 52 ovos da joalheria “Fabergé” produzidos para a família dos imperadores da Rússia Romanov.

Cliente – Imperador Nikolai II, o Sanguinário

Primeira Proprietária – mulher de Nikolai II, Alexandra Fiódorovna, originalmente a princesa alemã Victoria Alix Helena Louise Beatrice von Hessen und bei Rhein

O ovo tem uma brincadeira dentro: um cavalete com uma miniatura de aquarela. A miniatura apresenta o czar Nikolai II com seu filho numa das posições do Exército Russo.

1916 foi o terceiro ano da Primeira Guerra Mundial. Ao final de um ano, em 1917, a Rússia foi sacudida primeiro pela Revolução de Fevereiro, quando os generais mais próximos ao czar fizeram Nikolai II abdicar do trono, e segundo pela Revolução de Outubro (que foi um golpe dos radicais de esquerda contra o governo provisório do capital estrangeiro, o czar Nikolai II já não estava no jogo, ele abdicou do trono em Fevereiro de 1917).

O interessante é que no ano 1916 segundo historiadores foi o ano que a joalheria “Fabergé” recebeu o recorde de ordens dos ricos russos. Em que pesem o recorde de deserções da guerra sem êxito, a fome no campo e nas cidades, as greves em massa e a deslegitimação da coroa.


  • -

East World, Copa da Rússia 2018

Todos os guias têm muitos planos para a Copa do Mundo de 2018, que vai ter lugar na Rússia. Eu em pessoa, inspirado no filme “West World“, quero lhes oferecer um parque dos guias robots. Cada robô vai lhe vender sua própria história, e cada robô vai ter o seu carisma e os seus pontos fortes.

Por exemplo, a cidade de Rostov do Don é uma porta russa do Cáucaso, e é a capital do Sul da Rússia. Tradicionalmente Rostov do Don foi uma cidade cosmopolita de militares, negociantes e de contrabandistas. Costumamos dizer: Odessa é a mãe, Rostov é o pai.

Para guiá-los em Rostov do Don desenhamos um guia robô muito especial. Imaginem só! Rostov do Don através dos olhos de um gay checheno! Histórias apaixonadas das guerras russas no Cáucaso e contra Turquia, um outro olhar sobre a expansão da Rússia no Sul. Repressão sexual e machismo nas repúblicas muçulmanas!

Perfil de seu guia de Rostov do Don

nível de ensino: ensino superior
emprego permanente: guarda costas de um mafioso checheno
principais campos de interesse: guerras do Cáucaso, política de gênero, atrações turisticas em Rostov do Don, futebol

São Petersburgo, o porto russo no Mar Báltico, foi capital do Império dos Romanov, o período que foi um verdadeiro pesadelo para o povo russo, ao mesmo tempo São Petersburgo marca o Século de Ouro da cultura elitista para a nobreza russa. Venha conhecer São Petersburgo através dos olhos de um “pequeno homem” das obras de Púshkin, Dostoévski, Tolstoi. O “pequeno homem” oposto ao Grande Império.

Perfil de seu guia de São Petersburgo

nível de ensino: pós-doutorado
emprego permanente: gari, profissional responsável pela limpeza da Avenida Névskiy e Praça do Palácio
principais campos de interesse: cliodinámica

Moscou, a capital do “Heartland”, o coração da terra. Moscou vai ser, obviamente, a cidade mais solicitada pelos clientes “recém-chegados“. No centro de Moscou vamos organizar todo um parque de atrações com muitos “robots anfitriões“. Nossos clientes podem fazer o que quiserem dentro do parque, sem seguirem regras ou leis e sem medo da retaliação dos robots anfitriões:

Ivã Borodai, ex-agente da KGB, atualmente oligarca-patriota, frequentador do Café Pushkin. Ivã Borodai tem uma esquizofrenia: seus 2 filhos moram em Londres, mas Ivã tem ao mesmo tempo o seu negócio de petróleo na Rússia, que está condenada geopoliticamente ao Grande Jogo contra a Inglaterra.

Mijail Abramovich, ex-agente do Mossad, atualmente agente do Teatro Bolshoi, ou seja revendedor dos tiquets na Praça Vermelha

Natasha Rostova, professora de literatura russa, é uma garota de programa nos tempos livres, uma fantástica menina da Ucrânia. Área de atuação – bairro da rua Arbat, Ministério das Relações Internacionais, Hotel “Ucrânia”, beira Taras Shevchenko.

Nonna Mordukova, policial feminina, trabalha na Rua Tverskaia, ativista do Partido Comunista.

Nurali Mamasharipov, migrante ilegal do Uzbequistão, vendedor dos passaportes falsos na Estação de Kazão.

Etc.

Amigos, nós temos também uma grande variedade dos “robots anfitriões” em função das preferências políticas de vocês: stalinistas, trotskistas, neoliberais, feministas, anarquistas, extrema-direita, etc.

Caros clientes, esperam-vos guiões para todos os gostos:

Ação, espionagem, comédia romântica, pornochanchada, etc.

Poderão selecionar os ambientes para sua Odisseia Russa:

Moscou da invasão polaca de 1612,

Moscou do Grande Incêndio de Napoleão de 1812 ou

Moscou na catastrófica situação de outubro de 1941, quando os nazistas estavam tão perto que podiam ver as torres do Kremlin pelos binóculos.

É possivel também ajustar o patamar emocional de sua experiência. Sua saúde física, sua reiniciação emocional é responsabilidade nossa.

De todas formas nossa agência de viagens sempre esta às suas ordens. Os melhores itinerários, as criações mais interessantes em seu caminho, uma infinidade de encontros e interrelações.

Bem-vindos ao East World!

Nombre (requerido)

Correo electrónico (requerido)

Asunto

Mensaje


  • -

Chistes sobre judios

Una matrona judía regresa a su casa y ve, que su hijo esta cogiendo de pie a la moza doméstica. El corazón materno por poco se revienta:
– ¡Maldita antisemita! ¡Como puedes atormentar tanto al pobre niño judío! ¿Acaso no puedes acostarte?

En el compartimiento de tren se pusieron a hablar de los famosos. Al lado de ventana esta sentado un intelectual judío y a remezones interviene con una breve observación sobre el origen de la mencionada celebridad:
– Spinoza…
– Era judío.
– Colón…
– judío de Génova, convertido.
– Offenbach…
– Judío.
– Modigliani…
– Judío.
– ¡O, Jesús María y José!
– También judios…

Un tartamudo cuenta:
– N-no m-me a-ce-ce-pta-ron co-co-mo dictor en la ra-ra-dio.
– ¿Y por qué?
– P-p-porque soy ju-ju-dío.

En un pueblo judío nadie pudo preparar tan rico té como lo hacía Rabinóvich. No obstante él nunca contaba a nadie el secreto de su preparación. Entonces, Rabinóvich esta muriendo. Al lado de su lecho de muerte se juntaron todos los parientes, amigos, vecinos…
Todos le ruegan, suplican:
– Jáime, estas con el alma entre los dientes, siquiera ahora cuéntanos, ¿en que consiste el secreto de la preparación de tu té, que nos gusta tanto a todos?
– ¡Judíos! ¡No ahorren té para la infusión!

Un viejo judío llama a su amigo, quien es el directór del cementerio del Convento Novodévichi.
– ¡Oye, acaso no somos compinches! Te ruego mucho: búscame, por favor, un lugarcito en algún rinconcito de tu cementerio… Tu sabes…
Dentro de un tiempo el amigo le devuelve la llamada:
– ¡Jáime! Con urgencia tráeme 1 millón rublos y ¡mañana – a sepultarte!

El marido judío regresa a casa y sorprende a su adorada esposa en la cama con su amante. Empieza a hablarle algo, pero ella lo interrumpa:
– Y que tu piensas ¿que con tu salario compramos nuestro mueble? O piensas tú, ¿que compramos el televisor plasma con tus centimos? ¿Y de donde yo saqué la plata para comprar el coche?
El esposo:
– Sara! ¡Cierra la ventana rápido para que él no coja un resfrío!

Un anciano judío sale de su casa y ve que por encima de la ciudad se formó el arco iris. Lo vio y dice:
– ¡Aja! ¡Claro! ¡Para esto siempre tienen la plata!

Karl Radek decía: “Móises sacó a los judíos del Egipto, y Stalin – del buró político del PCUS”.

Un viejo judío se dirige al camarero, que también es judío, pero joven:
– ¡Móishe, prueba la sopa!
– ¿Que pasa? Es la sopa de siempre.
– ¡Pues, pruébala!
– ¿Acaso siquiera una sola vez le serví una mala sopa?!
– Pues yo te digo: ¡prueba la sopa!
– Esta bien, vale, voy a probarla… ¿Pero donde esta la cuchara?
– ¡Aha! – lo sorpende el anciano.

Un judío es un punto de venta, dos judíos son un torneo internacional del ajedrés, tres judíos ya son Orquestra Simfónica Estatal de Rusia. Cuando un ruso es un borrachín, dos rusos son una pelea, tres rusos ya son una organización de base del Partido Comunista.

Un judío muy rico llega a un pueblo judío para visitar a sus parientes. Viene a sinagoga y dice:
– Rabí, quiero dejarte en custodia mi dinero y joyas.
Rabí halagado le responde:
– Por supuesto, es un honor, que usted, como un hombre muy respetado, confía en mi, pero yo no puedo recibir nada sin testigos. Espere, ahora voy a llamar a mis asistentes y entonces…
Y así lo hizo.
– ¿Vean, – dice el rabí, – como confia en mi el estimado señor Rabinovich? Me ha pedido, que yo guarde todas sus joyas. Entonces, yo delante de ustedes recibo todo esto y lo cierro en mi caja fuerte.
Pasa tiempo, y Rabinovich viene a rabí a recoger sus cosas.
– ¿Que joyas? Yo no sé nada.
Y Rabinovich indignado:
– ¿Cómo puede ser eso?! ¡Tu reuniste aquí a todos tus asistentes y en presencia de ellos lo guardó todo!
Bueno. El rabí llama a todos los suyos.
– ¿Oyen, Rabinovich trata de convenserme, que como si yo recibiera de él algunas cosas de valor y que como si ustedes fueran los testigos de ello? Entonces, les quiero preguntar, ¿si vieron ustedes algo parecido?
Ellos le responden, que no vieron nada. Rabinovich escupió y se dirigió hacia la salida. Entonces rabí lo regresa, abre la caja fuerte, saca las joyas y dinero, lo devuelve al dueño. Este no entiende nada en absoluto.
– Escuche, rabí. ¿Para que toda esta comedia?
– Te quería mostrar, con que canallas me veo obligado a trabajar.

2 judíos estan en WC. Uno pregunta al otro:
– ¿Como crees: cagar es un trabajo intelectual o físico?
– Si fuera físico, contrataría a alguien.

Un judío cuenta sobre su vida en Inglaterra.
– Me acomodé muy bien. Vivo en Iglaterra, sirvo a un lord. El se acuesta con mi Sara, mientras yo – con la esposa suya.
– ¡Pues, es maravilloso!
– Si, pero yo hago a los lordes, y el me hace a los judios.

María Isaak Petrova esta llenando una encuesta y le preguntan:
– ¿Y por que Isaak? ¿Es judía?
– Entonces, según usted ¿la Catedral de San Isaak es una sinagoga?

En Kishenev esta pasando un pogróm. Agarran a un viejo judío justo en su cama.
– Aja! ¡Maldito judío! ¡Ahora te vamos a sacar las tripas!
– ¿Pero por que?
– ¿Aun te preguntas? ¡Cuando ustedes cruzificaron a nuestro Cristo!..
– ¡Se lo juro, no fuimos nosotros! ¡Fueron los de Odessa!


  • -

Moscou, o destino mais econômico e mais seguro

18mnu7jgwe57fjpgMoscou é uma das cidades mais seguras para o turismo na Europa. Pelo menos nossa capital não costuma aparecer nas listas das cidades-berços de trombadinhas. Os clientes do “Guia de Moscou – Private Tours” quase sempre admiram a segurança de Moscou, quando fazemos os city-tours de noite: andamos tranquilos pelos parques periféricos e vemos por todas partes os casais de namorados – ninguém mostra nenhuma preocupação com a segurança, uma coisa impossível para a maior parte dos países de LA e para muitos países de Europa.

Vamos dar uns exemplos pessoais: em 2006 perdemos nossa câmera de fotos Contax g2. Esta câmera analógica de $1000 era nosso único capital – então no dia seguinte (depois da festa), quando descobrimos que perdemos ficamos muito tristes. Fomos para a suposta área da perca e posteamos uns 5 anúncios – os donos de cães que passeiam pela manhã eram nossa única esperança. Em umas 4 horas a pessoa que encontrou a câmera nos ligou e neste mesmo dia tivemos nossa câmera recuperada.

Outro exemplo ainda mais “terrível”. Nossa família não tinha carro, então não havia «culto ao carro» e quando compramos o primeiro carro em 2010 sempre esquecíamos fechar os vidros, geralmente os vidros ficavam quase fechados, então não havia problemas, mas uma vez quando chovia muito e nosso pára-brisa ficou embaçado, abaixamos  todos os vidros e depois de chegar para nosso predio, estacionamos o carro entre outros 2 e saímos correndo. Passaram uns 3 dias, que não usávamos o carro. Então um dia voltamos para casa andando e vimos nosso carro totalmente aberto! Foram embora os outros 2 carros, que nos cobriam antes, e nosso carro ficou sozinho e 100% desprotegido com todos os vidrios abaixados! Caramba! Pois não nos roubaram nada: nem pen-drive que estava dentro! Então, é verdade que Moscou graças ao nível muito alto de vida é uma das cidades mais seguras do mundo.

big8898Ao mesmo tempo nossa capital é bastante vulnerável para o terrorismo (igual a qualquer capital européia). Estamos relativamente perto das zonas de instabilidade criadas pelos EUA, conforme a sua ideia de caos controlados: Kosovo, Ucrânia, Geórgia, Afeganistão, etc. O Global Terrorism Index em 2014 colocou a Rússia em posto № 11 (entre 124 países). Não tenham medo, meus amigos, estas estatísticas são bastante questionáveis. Atenção: elas não tem a ver com a Ucrânia: em 2011 (antes da guerra civil na Ucrânia) a Rússia já tinha o posto № 10. As causas destas alertas antiterroristas são os enfrentamentos no Cáucaso, onde passa uma das rotas de tráfico de heroína, produzida pelos EUA no Afeganistão. Obviamente este tráfico alimenta aos terroristas e saboteadores no Cáucaso. No Cáucaso, meus amigos, não em Moscou. O Cáucaso fica 2000 quilômetros da capital russa. Também é um dos destinos mais interessantes do mundo, mas agora estamos falando de Moscou.

Resumindo, queremos repetir que embora a Terceira Roma seja muito segura para o turismo, isso não significa que você tem que relaxar-se completamente. O turismo está crescendo na capital russa e não estou dizendo que aqui não haja ladrões, tem sim, embora muito menos que em São Petersburgo ou em outras cidades europeias.

our-moscow-through-eyes-mikkiTambém é interessante que sendo uma das cidades mais seguras, Moscou é uma das cidades mais econômicas de Europa: os serviços de Moscou são mais econômicos do que os de Lisboa, Madrid e Barcelona: entre as 55 cidades europeias temos o posto № 20 conforme à agência estadunidense Priceoftravel. Quando os tours completos para Moscou em 2015 foram considerados os mais econômicos entre todos os destinos európios (falamos não só sobre os serviços da cidade, senão também do custo de avião)*. Esperamos que a devaluação do rublo abra ainda mais nosso belo Moscou ao mundo. Bem-vindo a Moscou!

*Os aeroportos de Moscou são os mais econômicos, para voar de Nova York, Atlanta e Toronto sem falar da Europa, onde aeroportos iguais aos nossos não tem (pela barateria).


  • -

Consultorio Robotizado

Meus caros amigos, ultimamente eu recebo muitas cartas, e para responder gasto cada vez mais tempo.

Lamentavelmente há gente que acha que somos um “consultório robotizado”, não está certo) Somos pessoas reais e nossas respostas consomem nosso tempo, que poderiamos dedicar a nossas famílias.

Mas como as perguntas são bastante parecidas, achamos que “robotizar” as respostas seria uma boa ideia).

Por favor, entendam- que guiar aos estrangeiros por Moscou é nosso trabalho. Se vocês simplesmente quiserem falar sobre as opções de uma teórica viagem à Rússia, vocês podem se registrar na página de Tripadvisor e aproveitar essa ferramenta de intercambio das experiências de viagens.

Ser guiado é um privilégio (em poucos dias você aprende navegar pelo mar da vida russa!), portanto os serviços de guia custam dinheiro. Se sua tarefa é economizar, antecipadamente lhes dou as seguintes dicas:

1) O city tour gratuito é assim chamado “Free Tour”, em cada hotel vocês verão as ofertas deste programa. A ideia de “Free Tour” é juntar muita gente, guiá-la umas 2 horas andando pelo centro da cidade e logo oferecer outros programas mais interessantes, desta vez pelo dinheiro. O “Free Tour” não é “free”, é uma forma de vender outros tours. Claro, o conteúdo do “Free Tour” é bastante chato e limitado. Não acho que valha a pena gastar tanto dinheiro em avião para fazer um Free Tour medíocre. O nosso city tour é de 4 horas, em carro, muito mais informativo e interessante.

2) Para até 3 pessoas pode ser bastante interessante a opção de “Hop On Hop Off”. Para 3 pessoas o custo de “Hop On Hop Off” já é quase igual a um city tour de carro real. Para 4 pessoas o “Hop On Hop Off” não faz sentido, porque um city tour de carro real é mais econômico. Um city tour de carro real cobre mais artefactos históricos, é mais exclusivo e mais interessante, enquanto que o “Hop On Hop Off” é somente um jeito de conhecer o centro da cidade. Às vezes eu recomendo a meus turistas (que queiram economizar) conhecer o centro com ajuda do «Hop On Hop Off» e logo lhes mostro as periferias da cidade por carro (Parques de Moscou, 4 horas).

3) “Onde consigo o ticket pra o ballet bolshoi?” Se não puder comprar pela página oficial do Teatro Bolshoi, então, só medio dos revendedores, que andam pela Praça Vermelha e também sempre estão ao lado das caixas do Teatro. Nossa empresa tem um “pull” dos agentes do Teatro Bolshoi, que nos oferecem os preços razoáveis, porque já trabalhamos muitos anos juntos e nós elegemos os agentes mais adecuados.

Escreva-nos!

Nombre (requerido)

Correo electrónico (requerido)

Asunto

Mensaje