Rússia: muita terra separatista, pouco mar integrista

  • -

Rússia: muita terra separatista, pouco mar integrista

northeastpassage<em meados do século XVIII> no tempo de paz o transporte de cargas de Arkhangelsk para Londres pelo mar era mais rápido e econômico que de Arcangelsk para Moscou pela terra < O rei da Inglaterra Jaime I valorizou tanto esta região, que em 1612-1613, quando as tropas da Polônia e cossacos tomaram Moscou, ele até analisava a possibilidade da colonização direita de Arkhangelsk (Dunning 1989; Kagarlitski 2003)>. No tempo de guerra as cargas militares eram transportadas de Gibraltar para Balaclava mais rápido que de Moscou para Crimeia <A guerra da Crimeia, Inglaterra/Francia/Turquia vs Rússia>.

No início do século XIX fornecer as cargas para as bases russas no Alasca era 2-4 vezes mais econômico pelos 3 oceanos do que pela Sibéria. Além disso, pelos oceanos era mais seguro. Dessa forma, com a circunavegação de São Petersburgo ou Odessa, o Império Russo abastecia de trigo e azeite a América Russa.

Bering Strait map and new railroads in red frameO transporte de peles do Alasca para a China pela Sibéria demorava 2 anos; os navios americanos transportavam as peles em 5 meses.

Tecnicamente e psicologicamente a Índia estava mais perto de Londres do que muitas províncias do Imperio Russo de São Petersburgo.

Os oceanos conectavam, quando a terra separava.

No mar haviam inimigos e piratas, mas não haviam súbditos. Estes últimos são povos estranhos, descontentes ou rebeldes que precisavam ser pacificados, estudados, trasladados, ilustrados, fiscalizados e recrutados pelo governo, que possuia a responsabilidade sobre eles perante o mundo.

Fragmento de ensaio do culturologo russo Alexandr Etkind.


  • -

Anel de Ouro: Yaroslavl

5657--8925213-Yaroslavl, 270 km de Moscou.

Foi uma cidade sumamente importante na época, quando a principal rota comercial da Rússia era “Mar Branco – rio Volga – Mar Cáspio”. Naquele tempo, a Rússia ainda não tinha saída para o Mar Báltico.

Assim pela Rússia os holandêses e inglêses podiam ter os negócios com Pérsia (as famosas tulipas holandêsas são da Pérsia!). E a cidade de Yaroslavl era a capital econômica deste comércio internacional. As igrejas de Yaroslavl tem muitos motivos orientais: os campanários parecem minaretes, as igrejas estão decoradas com azulejos: pela mesma influência persa. São tantas igrejas, que pela abundancia das cúpulas a cidade parece um feixe de rabanetes!

A cidade era tão importante para os negócios, que os estrangeiros nem sempre tinham tempo para visitar Moscou, porque o período da navegação era só de 2 meses. O Mar Branco (pelo qual eles chegaram à Rússia) é chamado assim porque quase sempre está congelado. Agora vocês entendem porque a Rússia desde Ivã IV queria sair para o Mar Báltico e para o Mar Negro? O Mar Branco (ou seja Congelado) não era suficiente! Neste sentido, os bálticos e os poloneses historicamente foram parasitas da economia russa (sendo intermediários desnecessários no negócio entre a Rússia e Europa). Por isso, mesmo hoje estes países limítrofes são tão importantes para os EUA, como uma ferramenta de separação da Europa da Rússia.

O centro histórico de Yaroslavl é considerado como um patrimônio da humanidade pela UNESCO. Embora que o centro não tenha coisas geniais tipo São Basílio da Praça Vermelha de Moscou, tem uma atmosfera provinciana dos prédios de 2 a 3 andares, subidas e baixadas, ruas pequenas, etc. É muito bacana.

Não se esqueçam do rio Volga! É impressionante! Igual à história de Yaroslavl: a cidade foi a capital da Rússia na época de revoltas do século XVII, quando Moscou aceitou o poder dos poloneses. Yaroslavl protagonizou a Guerra Civil depois da Revolução Russa e tem muitas histórias para contar!

Conheça mais sobre o Anel de Ouro aqui.